A vida é uma cereja. A morte um caroço. O amor uma cerejeira.

9 de junho de 2009

A que cheira o meu sonho?

Cerejinha, Mercado do Funchal, 2004





A Lua de Lobos pôs-me a pensar...

Respondi-lhe mas apetece-me mostrar também aqui:



O meu sonho cheira a chocolate quente,
cheira a torradas frescas, cheira a chá de tília…

O meu sonho cheira a
risos, gargalhadas ao virar da esquina, ao marulhar do mar…

O meu sonho
cheira a raios de luz do sol batendo no corpo nú, cheira a areia áspera entre os
dedos dos pés, a um afago de pele com pele…

O meu sonho cheira a uma
aguarela num museu, a um arco íris numa cascata, à grandiosidade de um
desfiladeiro…

O meu sonho cheira-me. Com todos os meus
sentidos…