A vida é uma cereja. A morte um caroço. O amor uma cerejeira.

31 de março de 2009




Cerejinha, Alqueva, 2008


Se o quotidiano lhe parece pobre, não o acuse: acusa-se a si próprio de não ser muito poeta para extrair as suas riquezas.


R. M. Rilke

30 de março de 2009


Cerejinha, Alvor, 2008

Maravilhas nunca faltaram ao mundo;
o que sempre falta é a capacidade de senti-las e admirá-las.

J. Schmidt

29 de março de 2009

Cerejinha, Muge, 2005

Há um silêncio quase tão audível
como o de quando um comboio para nos apeadeiros pelo meio da noite.
Vergílio Ferreira

28 de março de 2009

Cerejinha, 2006

Quando o homem aprender a respeitar até o menor ser da criação, seja animal ou vegetal,
ninguém precisará ensiná-lo a amar seu semelhante.

Albert Schwweitzer

26 de março de 2009


Quero partilhar um facto que me é particularmente grato:
O meu filho David defende hoje a sua tese de mestrado.
É um momento importante da vida dele pelo que representa de decisivo para o seu futuro.É um momento importante na minha vida de mãe porque me deixa nostálgica do seu passado.
Tenho muito presente na minha mente todo o percurso de vida do meu filho. Na mente e no coração, como acho que acontece com todas as mães.
Peço muita desculpa mas hoje não me apetece ser modesta. Apetece-me contar a toda a gente até que ponto o meu filho é brilhante.
Quem não quiser saber, não lê. É simples.
O meu filho David sempre foi único. Desde pequeno que se portou exemplarmente. Era uma "menino de manual". Se o manual dizia "Está na hora de deixar a chucha" ele deixava a chucha na hora, menos um minuto. Se o manual dizia "aos 18 meses deixa a fralda", ele, no dia antes de fazer dezoito meses, deixava a fralda.
Começou a ler sozinho, com 4 anos, a ponto de eu - que até sou contra a ideia da entrada precoce de meninos na escola - aceitar a ideia da professora de 1º Ciclo que o recebeu no primeiro ano e deixar que frequentasse de início o segundo ano. "Se ele tiver de repetir um ano que seja o 4º" disse-me ela. "AÌ é mais fácil de o ocupar do que no 1º. Assim ele só vai desmotivar". Mas, ao chegar ao 4º ano a opinião da professora que o acompanhou esses três anos não foi favorável a uma repetição. "Então mas de que modo explico ao David que os seus colegas vão todos passar de ciclo e ele, que é o meu melhor aluno, fica cá ?!? E lá veio uma inspectora a quem ele explicou, brilhantemente, de que modo Colombo tinha posto o ovo de pé...não se eximindo de tecer toda a sorte de criticas à teoria do ovo de Colombo... Ainda hoje se, por algum motivo profissional me contacta, a Inspectora Alice pergunta pelo David e pela sua teoria do Ovo de Colombo...
No 2º Ciclo o que fez as delícias do David foi a poesia. Com o acompanhamento de uma professora de Português de excelência descobriu a magia das palavras e o que podia fazer delas e foi vê-lo a devorar livros uns após outros e a escrever furiosamente todo o tipo de quadras, rimas, poemas, textos e prosas.
A par de exemplar nos estudos o David era um miúdo sensível, observador, capaz de antecipar as situações problemáticas de modo a nunca se meter em sarilhos, amigo de ajudar e muito, muito alegre. Tinha sempre uma piada para contar, sabia todo o tipo de canções, lengalengas e historietas e sabia como e onde as contar. Muito diplomático tanto com adultos como com outras crianças fazia amigos com facilidade, era generoso, ajudava frequentemente os colegas o que lhe granjeava popularidade.
(eu avisei que não ia ser modesta e afirmo que tudo isto é verdade e me espanto todos os dias com a sorte que tive de ser mãe deste rapaz)
E assim vi o David crescer, num instante, apreensiva por vezes, achando que em qualquer momento esta perfeição se podia quebrar e iriamos sair deste estado de graça.
Mas o David não se estragou...Passou a idade do armário sem eu saber o que isso era. Teve muitos sonhos para a sua vida futura. Quis ser pastor, mágico, bombeiro, pasteleiro. Ensaiou estas profissões nas idades em que as quis viver de vários modos. Inclusive passou umas férias da Páscoa enfiado numa fábrica de uma pastelaria, de noite, tendo chegado à conclusão que nesses quinze dias as bolas de Berlim, os pasteis de nata e os bolos de arroz tinham deixado de ter segredos para ele, pelo que não fazia sentido passar a vida no meio deles.
No Secundário assumiu aquilo de que já desconfiava. A sua paixão era os números. A isso ajudou uma certa "Melaiva" nome carinhoso com que tratava a professora de Matemática.
A entrada no Técnico, no curso de Matemática, foi uma das primeiras situações em que vi o David vacilar. Ali já ombreava com gente de craveira superior. A vida não era tão fácil. O estudo era exigente e o David estava habituado a ser o melhor. Se assim queria continuar tinha de puxar por si. E fê-lo. E continuou a dar provas da sua superioridade como pessoa e ser humano. A par do conseguir realizar o seu curso todo dentro dos prazos mínimos para o fazer, com classificações superiores, mais uma vez o David conquistou pessoas; colegas e professores, que o consideram amigo e que sabem que podem contar com ele.
Hoje é o culminar desta etapa de vida. Tem sido brilhante até aqui. O que o futuro reserva ao David será um pouco o que ele fizer dele. Se estivesse totalmente nas suas mãos eu estaria muito mais confiante. Sei que ele é um vencedor. Mas é um vencedor por carácter, inteligência e sensibilidade, o que não é sinónimo de vencedor nos dias de hoje, como todos sabemos. A vida actual, laboral, precisa de outros trunfos que o David não tem mas que, de coração, não estou arrependida de não lhos ter apresentado como relevantes. Ele sabe que existem outros valores, outras formas de estar na vida e tem o poder do livre arbítrio.
Parabéns meu filho.

25 de março de 2009

Cerejinha, Lugo, 2006

É preciso toda uma aldeia para educar uma criança

Provérbio Nigeriano

24 de março de 2009

Cerejinha, Dublin, 2007

Viver é a coisa mais rara do mundo.
A maioria das pessoas apenas existe.
Oscar Wilde

23 de março de 2009

Cerejinha, Noudar, 2006

Tratemos bem a terra. Ela não nos foi doada pelos nossos pais.
Foi-nos emprestada pelos nossos filhos.

Provérbio antigo do Quénia

22 de março de 2009

Cerejinha, Reserva Natural do Tejo, 2005
Eu caminho vivo, no meu céu estrelado
Vitor Hugo

21 de março de 2009

Barcelona - 18 Março 2009


O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons...
Martin Luther King

19 de março de 2009

Dia do Pai


Cerejinha,2008

Quando eu nasci, tu renasceste

Quando eu ri, tu choraste

Quando eu precisei, tu estavas lá.

Quando eu adoeci, tu rezaste.

E alimentaste-me

Cuidaste-me
Protegeste-me

Amaste-me...em todos os momentos

Nunca me pediste nada em troca, pois o meu sorriso era o teu paraíso.



Sinto a tua falta, pai.
Muito.

18 de março de 2009

Cerejinha, Paul de Boquilobo, 2007

A compaixão pelos animais está intimamente ligada à bondade de carácter e pode ser seguramente afirmado que quem é cruel com os animais, não pode ser um bom homem.
Arthur Schopenhauer

17 de março de 2009

# 16

Cerejinha, Praia da Luz, 2008

Uma pessoa inteligente aprende com os seus erros,
uma pessoa sábia vai além, aprende com os erros dos outros,
pois é uma grande observadora.
(autoria desconhecida)

16 de março de 2009

# 15


Cerejinha, Cabo Sardão, 2008

Quem acha sem procurar é quem longamente buscou sem encontrar.
Gaston Bachelard

15 de março de 2009

# 14




Cerejinha, Caretos de Podence, 2009

Cada um de nós é uma lua
e tem um lado escuro que nunca mostra a ninguém.

Mark Twain

14 de março de 2009

# 13



Cerejinha, Dublin, 2007




(...) as he set foot on O'Connell bridge a puffball of smoke plumed up from the parapet.

James Joyce

13 de março de 2009

# 12


Cerejinha, 2007

Fala-se tanto da necessidade de deixar um planeta melhor para os nossos filhos e esquece-se da urgência
de deixarmos filhos melhores para o nosso planeta.
Autoria desconhecida

12 de março de 2009

# 11


Cerejinha, Barnafoss, Islândia, 2008

Não somos responsáveis apenas pelo que fazemos,
mas também pelo que deixamos de fazer.
Molière

11 de março de 2009

# 10


Cerejinha, Torre Eiffel, Paris, 2008
A força não provém da capacidade física e sim
de uma vontade indomável.

Mahatma Gandhi

10 de março de 2009

# 9

Cerejinha, Proença-a-Nova,2008

Existe uma certa grandeza em repetir todos os dias a mesma coisa.
O homem só vive de detalhes e as manias têm uma força enorme:
são elas que nos sustentam.
Raúl Brandão

9 de março de 2009

# 8

Cerejinha, tulipas das areias, Cabo da Roca, 2006
As coisas, por si sós, não são interessantes,
tornam-se interessantes apenas se nos interessamos por elas.

S.Ceccato

8 de março de 2009

# 7


Cerejinha, Lugo, 2006
Os homens deviam ser o que parecem ou, pelo menos,
não parecerem o que não são.
William Shakespeare

7 de março de 2009

# 6


Cerejinha, Arrepiado, 2005
A natureza concedeu aos grandes homens a faculdade de fazer
e aos outros a de julgar.
Luc de Clapiers Vauvenargues

5 de março de 2009

# 5


Cerejinha, Congost de Mont Rebei, 2006
A maneira de apreciarmos uma coisa
é dizermos a nós próprios que a podemos perder.
Gilbert Chesterton


4 de março de 2009

# 4

Cerejinha, Praga, 2006


Não sei para que é ter contentamento,
se mais há de perder quem mais alcança.
Luiz Vaz de Camões

3 de março de 2009

# 3

Cerejinha, Aldeia Ruiva, 2008
Despreza as estradas largas, segue os carreiros
Pitágoras

2 de março de 2009

# 2

Cerejinha, Berlengas, 2005

Não tenho um caminho novo.

O que eu tenho de novo é um jeito de caminhar.


Thiago de Melo

1 de março de 2009

# 1


Cerejinha, Pedras Brancas, 2004

É comum perder-se o bom por querer o melhor.

William Shakespeare