A vida é uma cereja. A morte um caroço. O amor uma cerejeira.

14 de fevereiro de 2007

e porque hoje é dia de namorados...


Da tua voz
O corpo
O tempo já vencido

Os dedos que me
Vogam
Nos cabelos

E os lábios que me
Roçam pela boca
Nesta mansa tontura
Em nunca tê-los…

Meu amor
Que quartos na memória
Não ocupamos nós
Se não partirmos …..

Mas porque assim te invento
E já te troco as horas
Vou passando dos teus braços
Que não sei
Para o lume em que me deixas
Se demoras
Nesta mansa
Certeza que não
Vens.

Maria Teresa Horta